Qualquer semelhança deve ser mesmo mera coincidência que causa estranhamento no mercado fonográfico brasileiro somente por ser inusitada.

    No álbum que Pitty lança em 26 de abril, Matriz, há duas regravações no repertório essencialmente inédito e autoral.

    Uma delas, mote da coincidência, é Motor, canção de espírito blues-rock composta por Teago Oliveira em 2012, lançada no ano seguinte pela banda Maglore no álbum Vamos pra rua (2013) e redimensionada na voz de Gal Costa no ano passado, num dos números mais sedutores do atual show da cantora, A pele do futuro (2018 / 2019), estreado em dezembro e ainda em turnê pelo Brasil.

    Motor, inclusive, é música acionada por Gal como segundo single da ainda inédita gravação ao vivo do show, feita em março. O single Motor tem lançamento previsto para junho.

    O estranhamento acontece somente por se tratar de música obscura que, em intervalo de menos de dois meses, ganha registros quase simultâneos de duas cantoras.

    A outra regravação de Matriz, quinto álbum solo de estúdio de Pitty, é a de Para o grande amor, música de autoria do compositor baiano Peu Souza (1977 – 2013) lançada em disco pela banda carioca Folks em 2015, dois anos após a morte precoce do autor aos breves 33 anos.

    Músico da cena roqueira de Salvador (BA) na década de 1990, Peu ganhou projeção nacional ao ocupar o posto de guitarrista da banda de Pitty nos anos 2000.

    Capa do álbum 'Matriz', de Pitty — Foto: Otávio de Souza

    Com capa que expõe Pitty em foto de Otávio Souza e arte de Pedro Hansen, o álbum Matriz foi gravado entre as cidades de Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Salvador (BA).

    Com a intenção de dialogar com sons e artistas da cidade em que nasceu e na qual viveu até os 23 anos, Pitty convidou nomes soteropolitanos para participar do disco Matriz. A banda BaianaSystem toca em Roda.

    Lazzo Matumbi e Nancy Viegas figuram na faixa A noite inteira, já previamente lançada como single. O mesmo Lazzo Matumbi participa de Sol quadrado, música também gravada com a adesão de Larissa Luz.

    Fora do eixo baiano, Pupillo Oliveira toca percussão, bateria e programação em Redimir, faixa produzida pelo artista pernambucano.

    As demais faixas do álbum Matriz foram formatadas por Rafael Ramos, habitual produtor da discografia de Pitty.

    No Comment

    You can post first response comment.

    Leave A Comment

    Please enter your name. Please enter an valid email address. Please enter a message.