O regente e diretor musical James Levine foi demitido da Metropolitan Opera House após uma investigação interna encontrar evidências de abuso e agressão sexual, informou a instituição nesta segunda-feira (12).

    James estava afastado desde dezembro do ano passado, quando surgiram as acusações. O Met, casa de ópera mais famosa dos EUA, informou que a investigação concluiu que Levine teve uma conduta “sexualmente abusiva e agressiva em relação a artistas vulneráveis no início das carreiras”.

    O regente de 74 anos é uma das figuras mais importantes do Met. Ele ocupou posições de destaque na instiuição desde 1976. A companhia diz que “seria inapropriado e impossível que Levine continue a trabalhar com o Met”.