A 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo começou na semana passada terá uma mesa com Julia Faria e Daiana Garbin.

    O encontro nesta quinta-feira (9) junta a atriz e a jornalista. Elas vão debater questões da mulher contemporânea com o corpo, a autoimagem e o relacionamento.

    Antes do evento, Julia falou com o G1 e definiu o que é empoderamento feminino:

    “É você poder ser única e exclusivamente responsável pelas suas escolhas. Que elas sejam feitas por você e mais ninguém. Desde as mais bobas até as mais importantes. É a gente escolher para onde quer ir, trabalhar, namorar, o que você acha que vale a pena para você”.

    Julia tem o canal “Se conselho fosse bom” no YouTube e quase 800 mil seguidores no Instagram. Ela lançou o livro “Para as solteiras com amor – Porque todo mundo já foi um dia”, e isso a faz receber mensagens pedindo conselhos.

    “No Snap e no Stories eu sempre falei muito abertamente sobre coisas da vida e as pessoas se sentem íntimas, à vontade de dividir os problemas”, explica a atriz.

    “Com o livro, estou abrindo meu coração para elas ficarem ainda mais à vontade. E agora com o canal, com um convidado para aconselhar sobre o problema de alguma delas, aumentou ainda mais”.

    Julia Faria (Foto: Reprodução/Instagram)
    Julia Faria (Foto: Reprodução/Instagram)

    O livro foi escrito com base em histórias vividas pela atriz e de casos de pessoas próximas. “Eu sou cheia de amigas e amigos, graças a Deus, então eu os observo muito. Eu comecei a escrever crônicas para o canal há muito tempo”, lembra.

    “Quando o convite do livro veio, eles queriam que fosse em cima das crônicas que já existiam. Metade do livro são crônicas requentadas e a outra metade são crônicas novas que eu escrevi para a obra”, explica.

    Coro das solteiras

    Solteira, Julia se junta ao coro de Jennifer Aniston que, recentemente, criticou a sociedade que considera feliz somente a mulher “bem casada”.

    “Existe essa cultura de que a pessoa sozinha é menos feliz e, a que namora, mais feliz. Enquanto é o oposto”.

    “Existem relações que já fracassaram e a pessoa continua presa, infeliz e sem coragem de sair porque tem medo, acha que vai ser pior ficar sozinha. Enquanto que, pior do que o que ela está vivendo, não vai ser”.

    Julia Faria (Foto: Reprodução/Instagram)
    Julia Faria (Foto: Reprodução/Instagram)

    Digital influencer

    Julia também falou ao G1 sobre os cuidados que se deve ter nas redes sociais. Recentemente, após o caso envolvendo o youtuber Julio Cocielo, muitos famosos – e seus assessores – correram para apagar posts antigos na web e deletar possíveis comentários polêmicos.

    “Eu nunca fui atrás de nenhum post antigo meu, mas acho que a questão do homofóbico, do machista e do racista, não é nem o post, porque quando a pessoa faz o comentário, ela pensou naquilo antes, então o negócio é a raiz”.

    “Óbvio que você corre o risco de fazer qualquer brincadeira e ser mal interpretado, mas estamos falando de brincadeira e não de machismo e homofobia. Meu passado não me condena, eu sempre fui muito preocupada com o outro, com o olhar”.

    25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

    • Quando: de 3 a 12 de agosto
    • Onde: Pavilhão Anhembi (Pavilhão de Exposições do Anhembi, Av. Olavo Fontoura, 1.209, Santana)
    • Ingressos: R$ 20 (com meia-entrada) de segunda a quinta-feira; e R$ 25 (com meia-entrada) de sexta-feira a domingo.
    • Site oficial: www.bienaldolivrosp.com.br